É possível aprender uma língua com 20 horas de aula?

24/11/2017

 

multilingual

Sim, após algumas semanas de aulas já é possível se comunicar em um idioma estrangeiro. Mas não é pouco tempo?

 

Em 20 horas de estudo de um idioma estrangeiro já é possível adquirir um conhecimento básico para entender e se comunicar em diversos contextos e situações corriqueiras. É claro que uma pessoa que começa do zero não terá fluência após as 20 horas e deverá continuar estudando para expandir seu vocabulário e aprender a gramática da língua. Entretanto, ela já vai conseguir entender conversas, se expressar, ler e escrever naquele novo idioma. Afinal de contas, o que realmente importa é conseguir se comunicar, não é mesmo?

A regra das 20 horas não é só válida para o ensino de idiomas, mas para diversos tipos de aprendizagem. O americano Josh Kaufman, renomado especialista em aprendizado e autor do Best-seller “The personal MBA: Master the Art of Business”, conta em uma palestra como 20 horas é o tempo necessário para desenvolver diversas habilidades de forma satisfatória.

 

como aprender qualquer coisa em vinte horas josh kaufman legendado

Muitas pessoas nunca ouviram falar sobre este conceito das 20 horas de Kaufman, mas conhecem o das 10.000 horas, apresentado por Malcolm Gladwell, autor do livro Outliers. É um conceito que tem se espalhado erroneamente dizendo que são necessárias 10.000 horas para ser bom em algo. Na verdade, Gladwell indica as 10.000 horas como o tempo médio de treino necessário  a um atleta de elite para estar entre os melhores.

Mas e se sua meta não é estar entre os melhores e sim conseguir se comunicar satisfatoriamente de acordo com seu objetivo?

Josh Kaufman nos mostra um gráfico sobre nosso processo de aprendizado. Podemos tomar muito tempo para chegar perto da perfeição, talvez mais que as 10.000 horas, mas não se toma tanto tempo assim para alcançar as habilidades básicas.
 

Performance-vs-Practice-Time

Gráfico comparando o “Quão bom você é” com “tempo de prática”, mostrando que no começo das atividades se consegue um grande benefício da curva de aprendizado.

Existe um velho clichê que diz “work smarter, not harder”, em tradução livre, “trabalhe de forma mais inteligente, não mais dura”. Kaufman conclui que o processo de aquisição de uma habilidade não é sobre quantas horas você dedica a esta atividade, mas sim como e com qual intensidade ou qualidade você aproveita estas horas.

E na prática? Como funciona?

O processo das 20 horas descrito por Kaufman tem 4 passos principais:

1 - Definição dos objetivos

Defina com detalhes qual é seu objetivo principal e quais são os objetivos secundários. Comece pelo que é mais importante. Fortalecer a base é essencial para permitir a construção do conhecimento sólido. No caso do aprendizado de idiomas, significa que você deve ter um foco claro.

Por exemplo, um aluno que queira aprender francês para se comunicar neste idioma em sua próxima viagem à França. Neste caso, vamos focar em desenvolver suas habilidades de compreensão e de fala, ficando as regras gramaticais avançadas e estruturas complexas do francês para outro momento. Provavelmente ele vai cometer erros gramaticais, mas seu objetivo principal, que é entender e se comunicar, será alcançado.

2 - Aprenda o suficiente para se corrigir sozinho

Tenha recursos que te ajudem a estudar sozinho, como livros de referência, sites interessantes, materiais e vídeos para continuar aprendendo sozinho. A orientação profissional sobre quais são os recursos ideias para cada caso ajuda muito na eficiência deste passo.

Não caia na tentação da procrastinação como por exemplo: “vou falar o idioma quando terminar o curso", "quando terminar o livro", "quando passar no exame...”, Não!!

Aprenda o suficiente somente para começar a praticar e vá se desenvolvendo de pouco em pouco. O objetivo é se arriscar, se observar e identificar quando está cometendo um erro. É mais ou menos quando você diz algo e pensa: “Ops, falei errado”. Esta consciência te leva a evitar esse mesmo erro no futuro.

3 - Remova as distrações para o aprendizado

É essencial ter foco para que o aprendizado seja o mais eficiente possível. A regra das 20 horas só é válida quando a prática é bem orientada e eficiente. De nada valem 20 horas se não se está comprometido com o aprendizado.

Todas as distrações como TV, Smartphone, PC etc, devem ser retiradas para a máxima concentração. Também é interessante deixar tudo que precisar ao alcance das mãos, como uma garrafinha d’água, caneta ou folhas de anotações para evitar interrupções e perda de foco.

4 - Pratique pelo menos 20 horas

Nós não gostamos de nos sentir idiotas e ruins em algo. Por isso é importante ter consciência que no começo realmente temos um conhecimento e uma habilidade de principiante, mas que após um tempo de prática aquele conhecimento vai ser alavancado. Deve-se ultrapassar o que Kaufman chama de “barreira da frustração”, o ponto em que ainda se tem pouco conhecimento (e com maior propensão a desistir) para alcançar um nível de confiança que permita a continuação do aprendizado.

Make-Your-Child-a-Polyglot_resized

Com estes 4 passos aliados à uma orientação profissional competente, em 20 horas é sim possível conseguir se comunicar em um idioma estrangeiro. Mas devem ser 20 horas eficientes e produtivas, portanto recomenda-se que seja um curso personalizado, diferentemente dos cursos padronizados, como já escrevemos aqui no Blog. Reserve 20 horas nos próximos meses para testar sua capacidade de aprendizado e poder incluir mais um idioma no seu hall de habilidades. Você não vai se arrepender.

Receba uma proposta de seu curso personalizado de idioma

 

Gabriel Morais
por Gabriel Morais

Gabriel Morais é fundador e coordenador da Make it Easy Idiomas. Estudou Letras no México e Finanças na Bélgica, sendo apaixonado por viagens e pelo contato com pessoas de diferentes culturas. Formado em Administração com experiência em Consultoria e Operações Financeiras, é fluente em inglês, espanhol e francês.


Leia mais