Fui demitido - e agora?

21/08/2017

Por Ana Czapla

 

Em momentos de crise e até mesmo em épocas de economia acelerada, o fantasma da perda do emprego pode atingir a qualquer um.

Os motivos que levam a uma demissão são diversos: crise econômica, reestruturação no departamento, baixa performance, má gestão, contratação equivocada, etc. Mas se a decisão já foi tomada o que vale agora é investir o seu tempo em uma auto-análise detalhada, para entender quais pontos técnicos e pessoais podem ser desenvolvidos e buscar entender quais são as suas fortalezas e como elas lhe ajudarão na busca pela nova oportunidade.

O primeiro passo é definir um foco para a sua carreira a partir de agora. Planeje-se - e leve em consideração o período de aviso prévio que você ainda tem a cumprir (se este for o seu caso).

Alguns profissionais, por exemplo, decidem usar este momento para abrir o seu próprio negócio, ou então interromper a carreira por um determinado período para estudar - afinal existem muitas pós-graduações ou mestrados que exigem disponibilidade integral do estudante. Se o seu foco é a busca de uma nova oportunidade, meu conselho é manter o foco na sua área de especialidade. Especialmente com a crise econômica e o alto índice de mão-de-obra disponível no mercado, as chances de você conseguir se relocar dentro da sua mesma área, setor ou tipo de empresa aumentam.

Enquanto a próxima oportunidade não vem, sempre é valido continuar estudando e investindo (com cautela financeira, certamente) em seu desenvolvimento profissional, como pós-graduações, cursos de idiomas ou de especialização. Mas tenha em mente que esta não deve ser a regra: procure se especializar e investir em seu desenvolvimento profissional sempre que estiver empregado ou ativo no mercado de trabalho. Vejo muitos profissionais que estacionam os cursos e estudos assim que conseguem se recolocar - mas (infelizmente) o mercado de trabalho ainda valoriza mais os profissionais que estão empregados e investindo em seu desenvolvimento do que aqueles que estão no mercado. O mesmo vale para o seu networking - mantenha-o sempre ativo, conecte-se com ex-colegas e chefes e (por que não?) tenha sempre contato com alguns headhunters especializados na sua área.

Em um post anterior, eu falei sobre como manter seu LinkedIn ativo e usá-lo a seu favor na busca ativa de oportunidades. Além das redes sociais, existem outras alternativas interessantes de baixo (ou zero) custo como é o caso do Bliive, um aplicativo de troca de experiências utilizando o tempo como moeda.

Uma mudança tamanha como uma demissão certamente não é um processo fácil para ninguém, mas mantenha o foco e procure mostrar-se sempre bastante motivado nas entrevistas e nos encontros sociais, afinal a resiliência e a persistência são habilidades importantes para o mercado de trabalho atual.

AnaAna Czapla é Engenheira e atua no setor de recrutamento desde 2012 – no Brasil, em Nova York e agora na Bélgica. De headhunter a job hunter, nestes últimos 4 anos ela já passou por algumas fases diferentes: emprego dos sonhos, desemprego e trocas de emprego e de carreira, e espera poder inspirar alguns profissionais dividindo suas experiências por aqui.

Ana Czapla
por Ana Czapla

Ana Czapla é Engenheira e trabalha com recrutamento e seleção desde 2012 – no Brasil, em Nova York e agora na Bélgica. De headhunter a job hunter, nestes últimos 5 anos ela já passou por algumas fases diferentes: emprego dos sonhos, desemprego e trocas de emprego e de carreira, e espera poder inspirar alguns profissionais dividindo suas experiências por aqui.


Leia mais