Phrasal verbs em foco: professor dá dicas para aprender a lição!

13/09/2017

Por Karen Natasha

 

Quando se decide aprender um novo idioma, há muita informação para processar: gramática, vocabulário, sotaques e expressões. Utilizados no dia a dia de falantes de inglês, phrasal verbs (verbos frasais) fazem parte do complexo desafio desse mundo de conhecimento. Para mostrar que o tema não tem mistério, o professor colaborador da Make it Easy, André Augusto Lourenço, formado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e que trabalha com tradução e preparação para provas de proficiência de pós-graduação, traz dicas para que todo estudante consiga aprender phrasal verbs sem dificuldades. Confira!

Let’s start from scratch! (Vamos começar do zero)

Para começar, André destaca a importância do bom uso do dicionário durante a aprendizagem. Isso porque o dicionário vai além da mera tradução de palavras. “Muitas vezes, quando um aluno iniciante vai buscar um significado, ele tende a usar, entre as opções mostradas, aquele sinônimo mais parecido ao português. O que muitos não sabem, é que há palavras com origem latina e outras com origem germânica; e entre as duas, aquelas latinas soam mais formais. Aí é que entram os phrasal verbs”, explica o professor, que leciona pela Make it Easy desde 2015.

Segundo André, é possível pensar em phrasal verbs como verbos que contêm dois elementos: um verbo e uma preposição. Contudo, o significado da união resulta em algo diferente do significado de cada palavra separadamente. Um exemplo é o phrasal verb Look after. Traduzidas de forma separada, a palavra look significa olhar e, after, depois. Porém, look after significa cuidar. “Quando aquele aluno iniciante busca no dicionário a palavra inventar, encontra invent, devise, come up. Sem pensar muito, usa a mais familiar: invent. Só que essa é a palavra latina e a mais usada no dia a dia seria make up”, acrescenta André, citando outro exemplo sobre a confusão acerca das famosas expressões em inglês. “Mas não vá pensando que todo verbo e preposição são phrasal verbs. O verbo listen (ouvir) é sempre seguido de to, mas isso não é phrasal verb, isso é collocation”, esclarece, frisando que isso seria assunto para uma próxima entrevista.

Seja em países de língua inglesa como Inglaterra, Estados Unidos, e Irlanda ou em locais com outros idiomas, há phrasal verbs ou estruturas similares a eles. “Algo parecido em português seria a regência. Assistir o ator e assistir ao ator são coisas completamente diferentes”, ressalta André.

Run away from mistake! (Fuja do erro)

Na hora de estudar, é um erro se questionar sobre os porquês dos verbos frasais. Turn on (ligar), turn off (desligar), wake up (acordar), stand up (levantar) são utilizados sem dificuldade, porém ao tentar entender por que look after significa cuidar, surge a complicação. E ficar se perguntando por que alguns phrasal verbs podem se separar - já que podemos dizer tanto Turn off the Tv quanto Turn the TV off - também não ajuda. “Com línguas não há porquê. É porque é”, comenta André, sugerindo que se deixe os questionamentos para filólogos e etimologistas, profissionais que estudam as palavras. “Isso é algo que somente nos resta lembrar. Não há motivo ou regra ou macete”, completa o professor, que hoje ensina inglês, italiano, francês, português e espanhol. Por isso, é importante sempre praticar (Veja aqui no blog Os primeiros passos para incluir um novo idioma em sua vidaComo potencializar seu aprendizado no idioma nas atividades do dia a dia e 6 dicas que te vão te ajudar a estudar em casa).

Um dos erros mais comuns é querer mudar o segundo elemento do phrasal verb, quando se quer falar algo no tempo passado. Look after, no passado, se torna looked after e não look aftered. Em perguntas ou em sentenças negativas no passado, acrescenta-se o Did. “Outro erro é querer associar os elementos do phrasal verb isoladamente ao português. Turn off não tem nada a ver com virar (turn) e nem com fora (off), GET OVER IT (= supere, rs, outro phrasal verb)”, diz André.

Evitar a tentação de traduzir tudo, aliás, é essencial. André alerta que é preciso, com o tempo, que os alunos se acostumem a associar o termo que aprenderam com a ideia ou a imagem a que ele se refere. Ao pensar em ball (bola), portanto, lembre-se da imagem da bola e não da palavra em português. “A combinação entre pensar em inglês e esquecer um pouco o porquê das coisas ajuda a combater grande parte dos problemas que temos com phrasal verbs”, destaca o professor.

A técnica de decorar os termos isoladamente também não ajuda na hora de aprender essa lição. Segundo o professor, causa até algum trauma. O melhor é pensar que as expressões devem ser lembradas e usadas com frequência, para que o aluno se acostume com elas. “E uma dica de amigo, não vá querer usar todos os phrasal verbs que você conhece ao mesmo tempo. Vá conhecendo-os aos poucos. Confira se aparecem muito em textos, vídeos, músicas, senão você corre o perigo de usar phrasal verbs que já caíram em desuso ou que são muito vulgares”, aconselha André.

 

Karen Natasha

 

 

 

Karen Natasha é jornalista, apaixonada por livros, moda e meio ambiente. Com experiência em assessoria de imprensa e redação de revistas, aproveita suas horas vagas para aprender mais sobre comunicação, design, fotografia, inglês, francês e espanhol. Sonha em viajar pelo mundo e apreciar paisagens naturais e castelos pelo planeta.

 

 

 

 

Leia também:

Aprenda um novo idioma lendo HQs

Estudar em casa: 6 dicas que vão ajudar você

ASAP, BRB, FYI: entenda o que significam essas siglas e como usá-las no dia a dia

Desenvolva seu vocabulário e se informe lendo notícias de renomados jornais internacionais